CHP Brasil + GEF Biogás Brasil: Monitoramento Completo e Personalizado Para Plantas de Biogás 

Central de Bioenergia de Toledo: solução para suinocultura
26 de outubro de 2023
dados
A CHP Brasil está instalando um novo sistema de monitoramento remoto nas seis Unidades de Demonstração do projeto GEF Biogás Brasil.
Essas unidades são plantas de biogás, localizadas na Região Sul do país, que receberam apoio técnico e financeiro do projeto para a compra de novos equipamentos e a melhoria de suas operações. 

O projeto GEF Biogás Brasil é liderado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), implementado pela Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), financiado pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF) e conta com o CIBiogás como principal entidade executora (CIBiogás). 

O projeto sem fins lucrativos tem como meta fortalecer as cadeias de produção, comercialização e inovação tecnológica no setor de biogás e biometano, reduzindo a emissão de gases de efeito estufa e estimulando a economia circular. As Unidades de Demonstração do projeto GEF Biogás Brasil fazem parte desse objetivo e servem como modelo de boas práticas em aproveitamento energético de resíduos orgânicos. As unidades foram selecionadas por meio de uma concorrência aberta pela UNIDO em 2021. 

Nessas unidades, os resíduos orgânicos gerados pela produção agroindustrial são transformados em biogás, que é uma fonte sustentável de energia e combustível. O processo de produção de biogás também resulta no composto digestato, que pode ser utilizado como fertilizante.

As Unidades de Demonstração são: 

  1. Fecularia Três Fronteiras (PR): indústria de fécula de mandioca que gera energia elétrica e térmica a partir do biogás. Também planeja usar o biogás para outros objetivos, como produzir biometano para abastecer frota de tratores. 
  1. 3Di/Alegra (PR): cooperativa agroindustrial de alimentos que utiliza o biogás para gerar energia elétrica, biometano para o abastecimento de geradores e CO2 para insensibilização de animais para o abate.
  1. EnerDinBo (PR): central para recebimento de resíduos, utiliza resíduos agroindustriais e da suinocultura para gerar energia elétrica via biogás. Pretende produzir biometano para utilizar como combustível em frotas de caminhões. 
  1. Granja Kist E Froelich (RS): granja de suínos que aproveita o biogás para a geração de energia elétrica e térmica para abastecer suas operações. Também gera digestato a partir do processo de produção de biogás. 
  1. Unidade São Roque da Master Agroindustrial (SC): granja de suínos que usufrui da energia elétrica, térmica e do digestato por meio do biogás produzido a partir dos resíduos da suinocultura. 
  1. 3G’s Adubos Orgânicos (PR): granja de aves poedeiras, produz biogás a partir de cama de aves, resíduos de suinocultura e soro de leite, operando em codigestão. Gera energia elétrica, térmica e digestato a partir do biogás, reduzindo custos com energia e fertilizante. 

Sobre o sistema de monitoramento

Em 2022, a UNIDO abriu um processo de concorrência para o fornecimento de serviço de implementação de um sistema de monitoramento remoto nas Unidades de Demonstração. A CHP Brasil foi selecionada e, em janeiro de 2023, iniciou a implantação do novo sistema de monitoramento remoto. O sistema é completo e personalizado para as necessidades de cada planta de biogás, utilizando nossos sensores e equipamentos. 

Fizemos a instalação de sensores nos equipamentos utilizados pelas usinas de biogás (biodigestores, equipamentos de tratamento de biogás e equipamentos de aproveitamento energético) e integramos todos os sinais desses sensores em um único software, chamado “software supervisório”.

Menu inicial do Software Supervisório

Através de nosso sistema, portanto, monitoramos plantas que utilizam o biogás para a geração de energia elétrica e energia térmica (e o uso combinado entre ambas), utilizam o biometano como combustível, e produzem CO2 e digestato por meio da biodigestão anaeróbia.

Analisamos dados como:  

  • pressão e temperatura do biodigestor,  
  • vazão do gás e do digestato,  
  • qualidade do biogás, 
  • produção de energia,  
  • etc.  

“Esse sistema pode ser replicado em outros projetos e têm como suma importância o fornecimento de um sistema personalizado que pode integrar o monitoramento de todas as variáveis de processo de uma planta de biogás: biodigestor, equipamentos de tratamento de biogás e equipamentos de aproveitamento energético, seja para uso térmico, seja para geração de energia elétrica, e até mesmo para biometano” – Rodrigo Zawadzki (Gerente Comercial da CHP Brasil)